Nossas Redes Sociais

Clinton Medeiros

Clinton Medeiros

Imprensa de luto em Pombal. Faleceu Clemildo Brunet

Saúde

Imprensa de luto em Pombal. Faleceu Clemildo Brunet

Radialista

Pombal-PB, no sábado (03.02), perdeu um dos seus filhos amados. O falecimento de Clemildo Brunet de Sá representa uma ruptura na história da comunicação pombalense e também na comunicação da Paraíba. Um silêncio num enredo cheio de paixão e devoção pelo rádio e pela comunicação.

Ainda quando Pombal sequer sonhava com uma emissora de rádio, Clemildo, juntamente com Genival Severo, já se propunha a ser escola para tantos comunicadores através do histórico Lord Amplificador formando um respeitável rol de comunicadores para a Paraíba e para o Brasil.

Clemildo nasceu em Pombal-PB em 01 de agosto de 1949 e era filho de Napoleão Brunet de Sá e Maria Brunet de Sá. Exerceu a atividade de radialista, jornalista, escritor e blogueiro. Foi gerente comercial na empresa Rádio Maringá AM de Pombal-PB (1982-1989); assessor de imprensa da Câmara Municipal de Pombal-PB (1990-1993); locutor de noticiários da Rádio Alto Piranhas de Cajazeiras-PB (1993); diretor comercial da Rádio Liberdade 96FM de Pombal-PB (1993-2003); jornalista editor do jornal Alto Sertão de Pombal-PB (desde 2013), Colunista do site da Liberdade 96FM.

Brunet teve o seu primeiro contato com rádio através de uma emissora clandestina (Rádio Difusora de Pombal) instalada no primeiro andar do “Grande Hotel”, que pertencia a Nélson Guarda e a Luiz da Estação Ferroviária.

“Em 1961 auxiliou aos propagandistas de porta de loja, cuidando da técnica sonora da difusora das “Lojas Paulistas”. No mesmo ano, com apenas 12 anos de idade, fez locução nos “Serviços de Alto Falante Difusora Maringá” de Raimundo Sacristão (Raimundo Lacerda). Em 1966, com 17 anos, montou sua própria emissora “A VOZ DA CIDADE”, que teve o seu destaque na formação de muitos profissionais que atuam hoje nos veículos de comunicação como: rádios, jornais, TVs e portais da web.

Em 1968 instalou o serviço de Alto-falantes “LORD AMPLIFICADOR” que funcionava sob duas modalidades: Fixo e Volante, tendo servindo também de aprendizado para muitos outros profissionais que são destaques hoje, tanto na imprensa paraibana como em outras unidades da Federação. Versátil, Clemildo Brunet de Sá atuou no rádio em todas as “posições possíveis”. Foi Locutor, redator, comentarista, repórter e noticiarista. Foi correspondente durante dez anos do Jornal Estadual da Rádio Tabajara da Paraíba entre 1980 e 1990”.

Em Pombal, trabalhou nas Rádios Maringá e Bom Sucesso AM onde liderou por anos a audiência incontestável do horário com o programa “A Tarde é Nossa”.

Foi agraciado com o Diploma e Medalha Epitácio Pessoa concedido pela ALPB (Assembleia Legislativa da Paraíba) em 10 de junho de 2010; Medalha Mérito Jornalístico Assis Chateaubriand concedida pela ALPB em 7 de novembro de 2013. Como escritor, deixa as obras literárias Histórias do Rádio em Pombal (2014) e Memórias & Legados (2017).

Particularmente, gostava muito de conversar com Clemildo. O meu último contato com ele foi antes da pandemia quando o visitei em sua residência em companhia do Dr. Joaquim Cândido onde tivemos uma conversa muita animada.

Há alguns meses tentei uma nova visita mas, infelizmente, seu estado de saúde já não permitia.

Deixo aqui a minha mais sincera homenagem ao precursor da comunicação pombalense e meu muito obrigado pela execução de tantos sonhos que, igualmente, serviram para embalar o sonho de tantos outros.

Clemildo era casado com a professora Nalba Cirlene.

Na manhã deste domingo (04), houve uma celebração na Igreja evangélica Presbiteriana, em seguida o corpo de Clemildo foi levado para a Câmara Municipal, onde aconteceu uma Sessão Solene, em homenagem ao mesmo, inclusive, com depoimentos de radialistas e amigos. Por fim, o cortejo fúnebre seguiu para o cemitério São Francisco, onde ocorreu o sepultamento, por volta das 11h15.

Por Teófilo Júnior

Clique para comentar

Deixe seu comentário

Mais Notícias em Saúde

TOPO