Em Belém do Brejo do Cruz no Sertão da Paraíba, a noite da última terça-feira, 3 de outubro foi agitada, devido a sessão da Câmara Municipal. Na pauta dois projetos importantes, como a aprovação do piso salarial da enfermagem e também a Lei Paulo Gustavo de incentivo a área cultural.

Só que a análise e votação dos projetos acabaram não ocorrendo. O motivo principal foi exatamente o encerramento brusco da sessão pelo presidente Wellington (PL) quando outros parlamentares estavam debatendo.

Após isso, a população presente na Câmara e os profissionais de enfermagem divulgaram cobranças nas redes sociais para que a votação ocorresse, mas não voltaram.

Enfim, profissionais de enfermagem da cidade apelaram e citaram nominalmente o presidente Wellington (aliado do prefeito Evandro Maia), buscando que o piso seja votado. Belém é a única cidade de sua região que a categoria ainda não foi beneficiada.

Durante a semana uma reunião sobre isso aconteceu justamente com o Ministério Público, tentando que a lei fosse cumprida, inclusive o presidente da Câmara participou.

OPOSIÇÃO DIVULGOU POSICIONAMENTO

A bancada formada por cinco parlamentares da oposição municipal também fez um vídeo e detalhou seu posicionamento. Afirmaram ser favoráveis a aprovação do piso salarial da enfermagem e também da Lei Paulo Gustavo. Porém os vereadores lembram que junto dos projetos, o prefeito Evandro Maia (MDB) enviou outros pedidos de remanejamento de créditos orçamentários e que a discussão é exatamente nesse sentido.

Ainda não foi marcada uma nova sessão da Câmara para análise dos projetos de lei.

A reunião desta terça teve também a presença da polícia militar.

O prefeito evandro Maia nem a gestao não divulgaram posicionamento sobre as pautas importantes para o município depois do adiamento.

Categorized in:

Política,

Last Update: 4 de outubro de 2023