Depois do jogo de ida entre Botafogo-PB e Sousa, no Almeidão, pelas semifinais do Campeonato Paraibano 2023, vencido pelo Belo por 1 a 0, os bastidores do mata-mata seguem movimentados. O Alvinegro da Estrela Vermelha, por exemplo, já anunciou que pedirá à Federação Paraibana de Futebol (FPF-PB) para que a partida de volta, no Marizão, tenha VAR, árbitro Fifa e exame antidoping.

A informação foi dada pelo presidente botafoguense, Alexandre Cavalcanti, em coletiva realizada na Maravilha do Contorno. A entrevista foi concedida para tratar da confusão que aconteceu no Almeidão, no último sábado, quando dirigentes do clube agrediram profissionais de imprensa, mas o Alexandre abordou outros temas, inclusive a semifinal do Paraibano.

— Diferentemente do que alguns dirigentes fazem, que é ficar se valendo de bravatas na imprensa, o Botafogo-PB prefere usar o regulamento, aquilo que é de direito, que é, neste momento agora, pedir árbitros de fora, pedir VAR e pedir exame antidoping, que são coisas que o regulamento permite — confirmou o presidente do Belo.

Alexandre Cavalcanti justifica o pedido do Botafogo-PB explicando que o clube se sentiu prejudicado por erros de arbitragem no jogo de ida contra o Sousa. São dois os lances em que os botafoguenses reclamam com mais ênfase, ambos por supostos pênaltis não marcados pelo árbitro Josimarques Domingos: 1) toque de mão de Daniel Costa, ainda no primeiro tempo; e 2) falta em Bismark, já na segunda etapa.

— Os erros de arbitragem aconteceram e são evidentes. Na minha opinião, isso aconteceu não por má-fé, mas por falta de habilidade de lidar com as pressões externas que a Comissão de Arbitragem vem sofrendo desde o primeiro jogo. Eu acho que, claramente, tem dois pênaltis. Depois do pênalti não dado, o árbitro mudou de postura. E eu não estou dizendo que foi má-fé da arbitragem ou da Comissão de Arbitragem, em momento algum. Eu acho que foi erro mesmo, grosseiro.

Alexandre ainda se referiu a dirigentes de outros clubes, sem citar nomes, alegando que muitos pressionam indevidamente a arbitragem e garantindo que essa postura não será adotada pelo Botafogo-PB.

— Alguns dirigentes adoram fazer isso de colocar pressão em cima da arbitragem, e a gente vai deixando passar, vai deixando passar… O Botafogo-PB silencia, para não entrar nesse tipo de pilha e termina sendo prejudicado. Não vou ficar fazendo bravatas na imprensa contra a arbitragem ou contra a Comissão de Arbitragem, mas eu acho que é um direito que o Botafogo-PB tem e que a gente vai fazer valer — finalizou.

A FPF-PB ainda não se posicionou oficialmente sobre a possibilidade, mas é certo que, para contar com esses recursos, o Botafogo-PB terá que arcar com os custos.

Botafogo-PB e Sousa voltarão a se enfrentar no próximo domingo, no Marizão, em jogo marcado inicialmente para as 16h, mas o Dinossauro já solicitou à FPF-PB a antecipação para as 15h. Como venceu o ogo de ida por 1 a 0, o Belo só precisa do empate para avançar para a decisão. Em caso de derrota botafoguense por apenas um gol de diferença, a disputar irá para as penalidades máximas. E, se o Alvinegro perder por margem de dois ou mais gols, estará eliminado.

Informações com Globo Esporte PB

Categorized in:

Esporte,

Last Update: 22 de março de 2023