Aos 42 anos, o jovem treinador Tiago Batizoco talvez não imaginasse, no ano passado, onde estaria em março de 2023. Pois é ele o responsável pelo comando técnico do Botafogo-PB, o maior campeão paraibano, que busca mais um título, mas que, no momento, após uma primeira fase bem ruim, mas uma classificação heróica, não tem tanto favoritismo ao título, que faria jus à sua história.

Após a demissão de Moisés Egert, escolhido para comandar o projeto, e de Francisco Diá, que chegou com a missão de melhorar o time e não conseguiu, sobrou para o auxiliar fixo, Tiago Batizoco, conquistar uma classificação para a semifinal do estadual nos acréscimos do último jogo da primeira fase, fora de casa, diante do Nacional de Patos.

Em Batizoco fez análises sobre o momento do time, foi claro e sincero ao dizer que a equipe não está bem em campo, mas revelou que acredita muito no seu grupo e no título estadual.

RESPONSABILIDADE

“O que muda é que a responsabilidade aumenta a cada dia que você está à frente de uma grande equipe. A gente tem que estar preparado para as tomar a decisão, intervenções às vezes mais duras, às vezes tranquila, isso se chama gestão. Quando a gente pensou nos dois últimos minutos, quando saíram os dois gols, é fruto de um trabalho de semana toda, principalmente o trabalho psicológico, porque você está jogando no campo do adversário, preocupado com uma classificação do maior clube do estado, sendo eliminado e com a torcida gritando que você está sendo desclassificado. Então o furto do trabalho surtiu efeito, com cada jogador obcecado em fazer o gol. Então isso traz a convicção de que estamos no caminho certo. Cada jogador está trabalhando de maneira muito profissional e comprando a ideia”.

TIAGO BATIZOCO

“Tiago Batizoco tem 42 anos, natural de Ribeirão Preto, estudei em Votuporanga, onde me formei em fisioterapia. Sou pós-graduado em fisioterapia esportiva e gestão de pessoas. Tenho Licença A da CBF. Tetracampeão rondoniense e algumas participações na Série D. E a gente está aí nessa caminhada. Hoje me encontro no momento mais especial da minha carreira, por estar como treinador do Botafogo-PB. Não é para qualquer um. É muita responsabilidade representar uma nação como a nossa torcida”.

ELENCO

“A direção tem trabalhado muito, trazendo peças importantes e experientes. Jogadores com gabarito. Isso vai nos fortalecer. São dois jogos decisivos, que a gente precisa ter elenco. Temos que ter opções para ter estratégias para colocar em campo. Estamos nos fortalecendo. A diretoria confia no nosso elenco e na comissão técnica. Eu só tenho que agradecer a direção pela estrutura de trabalho, digna de um time grande. Agora é fazer com que esses atletas entendam a maneira de trabalhar”.

“Eles se cobram. Eles sabem que podem mais. Que tem que ter mais controle do jogo. Ou se controla com a posse, ou se controla com uma construção mais objetivo. A gente tem se preocupado e se cobrado por isso. Não está bom. O que está bom é que a primeira etapa está vencida. Agora precisamos de evolução. E para isso, temos que colocar algumas coisas em prática, que não deu tempo. Tivemos um jogo atípico. Entramos em um 4-4-2, mas não conseguimos bloquear o adversário. Na parada da água, mudamos para um losango no meio, com o Renatinho marcando mais o Moreilândia. No intervalo, a gente mudou. Entramos com três atacantes, mais exposto, e sabíamos que íamos sofrer com os contra-ataques. Terminamos com só o Djavan de volante. Fomos para um tudo ou nada. Era preciso”.

SOUSA

“Agora temos 180 minutos, precisamos ter mais equilíbrio, mais controle de jogo. A gente tem que ter mais profundidade. Tem que ter mais ultrapassagem, passar mais a bola pela área. Temos um Tiago Reis, que é um finalizador nato. Temos que chutar mais de fora da área. Todos esses tópicos, a gente se cobra internamente porque nós temos que evoluir o mais rápido possível. Esses dois jogos, temos que identificar algumas coisas. Nós temos jogadores que jogam bem no Almeidão, mas que têm dificuldades para jogar no interior. Temos que ter estratégia. Eu tenho privilégio de trabalhar com Tiago Cardoso, nosso analista de desempenho. Já vimos alguma coisa do Sousa. Uma linha de quatro muito bem definida, com um lateral-direito que bate muito bem de fora da área. Dois volantes que controlam muito o jogo e vamos precisar anular isso. Mas temos também nosso tabuleiro para mexer. Teremos um jogo aqui, depois um jogo lá que tem uma outra característica”.

Informações com Jornal da Paraíba

Categorized in:

Esporte,

Last Update: 15 de março de 2023