O goleiro Santos foi um dos grandes pilares do Flamengo em 2022 e deixou a sua marca no futebol brasileiro ainda mais firmada como um dos grandes da posição em solo nacional. O jogador acumula grandes conquistas por Athletico-PR, seleção brasileira e também pelo Mengão.

Para chegar até o olímpio, o atleta passou por estados diferentes e não esquece a humilde origem na cidade de Cabaceiras, no Cariri da Paraíba. E pelo estado, Santos admite: o coração bate forte mesmo pelo Treze.

No início de dezembro, quando estava em período de férias, Santos voltou às origens e visitou sua cidade natal, onde pôde rever familiares e amigos. O jogador, inclusive, assistiu à final do Campeonato Municipal de Futebol Amador e ainda foi homenageado pelos feitos alcançados vestindo as camisas do Flamengo e também do Athletico-PR.

O paraibano se reapresentou nessa última segunda-feira no Ninho do Urubu onde deu o pontapé inicial para a temporada de 2023.

Embora tenha nascido em Campina Grande — terra conhecida internacionalmente por ter o maior São João do Mundo — Santos se considera mesmo cidadão cabaceirense. Filho caçula de Seu Severino e Dona Amara, o goleiro muitas vezes trabalhou na agricultura e também na pesca para ajudar em casa.

Já no futebol, os primeiros contatos com bola vieram na Escola Municipal de Cabaceiras e também no Treze, mas o ponto de partida de sucesso foi no Porto de Caruaru, em Pernambuco. O rápido e positivo desempenho o colocou dois anos depois em território paranaense, onde começaria a sua trajetória vitoriosa no Furacão.

— Eu só nasci em Campina Grande. Me criei em Cabaceiras e posso dizer que sou mais cabaceirense do que campinense. No futebol eu comecei nas escolinhas da cidade e também passei por um período curto de treinos no Treze. Me transferi para Caruaru e de lá fui para o Athletico, onde construí toda uma carreira. Hoje estou aqui muito feliz de vestir essa camisa do Flamengo — disse.

Agora, quando o assunto é torcer por alguma agremiação do futebol paraibano, Santos não esconde a admiração que tem pelo Treze, de Campina Grande. Para ele, o Galo da Borborema, por onde ele chegou a ficar dois meses nas categorias de base, nutre um sentimento mais forte no coração.

Me identifico bem com o Treze, que é um clube bem bacana. — Santos.

Pelo Flamengo em 2022, Santos esteve em campo em 37 oportunidades. Ao todo, o novo camisa 1 da Gávea sofreu 24 gols, mas não foi vazado em 18 partidas.

Informações com Globo Esporte PB

Categorized in:

Esporte,

Last Update: 28 de dezembro de 2022

Tagged in:

,