Nossas Redes Sociais

Clinton Medeiros

Clinton Medeiros

Prefeito de Sousa diz que não tem volta, com ex-aliados políticos que rompeu

Política

Prefeito de Sousa diz que não tem volta, com ex-aliados políticos que rompeu

Estremecimento

O prefeito de Sousa, Fábio Tyrone (PSB) voltou a comentar sobre o rompimento político ocasionado em função da eleição do vereador Novinho de Carlão para a presidência da Câmara municipal da cidade sorriso, durante entrevista coletiva nesta última sexta-feira (23).

O gestor sousense avisou aos ex-aliados que não terá reconciliação, ‘volta’ e nem realimento político. Tyrone voltou afirmou que o PDT não cumpriu o acordo e traiu a ele, e por isso não terá chances para reconciliação.

“Há um rompimento político, essa reunião aqui serve para isto, para dizer que não há volta, não há reconciliação não realimento político. A partir do momento que o PDT quebra um acordo e me trai, não tem volta, não tem como, infelizmente me cobre essa reação, então não vai ter realimento nenhum, porque havia um acordo e foi quebrado”, disse.

Mais adiante da entrevista, Tyrone se reportou sobre mudanças em cargos do governo do estado em Sousa. De acordo com o chefe do executivo sousense, ele governa com aliados e lembrou que os governos já iam passar por reformas. O prefeito disse ainda que ele tem a obrigação de liderar o governo do estado em Sousa e voltou a dizer que deve governar com aliado.

“Eu tenho que deliberar sobre meu ofício e dirigir o governo do estado em Sousa, eu tenho que governar com aliados e não com quem me traiu, ou posso?, o povo vai entender?. Foi preciso eu ir para a câmara pedir para votar a doação dos terrenos do lampião. Aldeone disse que nunca tinha visto isso em 10 mandatos”, desabafou o prefeito.

O gestor sousense também comentou sobre as candidaturas a prefeito de Sousa para 2024. Segundo ele, o governo tem um candidato natural que é o vice-prefeito Zenildo Oliveira (PTB). O prefeito lembrou que não pode apoiar um candidato quem não lhe apoia. Ele disse que não pode ter outro candidato fora do grupo mais que exerce cargo no governo do estado.

“Quer dizer que digamos? E pode ter outro candidato nas hostes do governo do estado e ser candidato contra mim? E pode, e pode isso? E não vai haver reação nenhuma minha? Quer dizer pode ter um candidato contra a vontade do grupo, contra a situação, dentro do estado que eu comando em Sousa, pode isso? Isso é indirigível? Vão entender as pessoas isso? Vão entender? Não! Acho que não! Eu não vou fracassar em minha reação, eu fracassei porque perdi e fui traído eu não vou fracassar na minha posição de liderança”, disse.

Por fim, o prefeito mandou um recado curto e grosso para aqueles que hoje são seus adversários políticos e também para o pré-candidato a prefeito Gilbertão (Sem partido).

“Se o coração não aguentar, bote uma moela. Eu não posso não amigo. Ou com dor, ou sem dor sangrando ou chorando, eu vou cumprir o meu oficio de líder da minha terra porque não fui nomeado líder, eu fui votado para ser líder”, finalizou.

Informações com Debate Paraíba

Clique para comentar

Deixe seu comentário

Mais Notícias em Política

TOPO
%d blogueiros gostam disto: