Nossas Redes Sociais

Clinton Medeiros

Clinton Medeiros

Petrúcio Ferreira chegou à Paraíba e já fala em buscar medalhas em Paris 2024

Esporte

Petrúcio Ferreira chegou à Paraíba e já fala em buscar medalhas em Paris 2024

Emoção, festa e abraços apertados, para compensar os meses em que o paraibano Petrúcio Ferreira ficou longe da família e dos amigos. Foi com este cenário que ele foi recebido no Aeroporto Castro Pinto, na Grande João Pessoa, na tarde desta quinta-feira. O velocista retornou de Tóquio, no Japão, onde conquistou uma medalha de ouro e outra de bronze durante as Paralimpíadas.

E se alguém pensa que agora só existe clima para festa e férias, se engana. Com um próximo ciclo com apenas três anos, até a realização da próxima Paralimpíada, Petrúcio já projeta novas conquistas para Paris-2024.

— Paris está logo ali. Teremos um ciclo mais curto. Para quem tava acostumado com quatro anos, agora serão três e bem cheios de competições. Ano que vem tem o Mundial, que será novamente no Japão, Parapan-Americano em 2023 e Paris em 2014. Um ciclo curto e que pra mim já começa agora — disse.

Para conseguir alcançar suas conquistas em Tóquio, o atleta paralímpico mais rápido do mundo precisou superar uma lesão muscular que sofreu seis dias antes dos Jogos. E, mesmo cheio de limitações físicas de última hora, o paratleta conseguiu confirmar seu favoritismo e foi ao pódio em duas oportunidades.

Na primeira delas, na corrida de 100m da classe T47, para corredores com deficiências nos membros superiores, ele conseguiu bater o seu próprio recorde paralímpico, atingindo a marca de 10s53. Posteriormente, ele conquistou a medalha de bronze nos 400m, também na classe T47.

— Enfrentei momentos difíceis no momento e que eu me machuquei. Pensei que não conseguiria correr, executar o que eu planejei. Dei o meu melhor. Não foi bem o que eu queria, mas vieram as medalhas — declarou.

Sobre o reencontro com a família, que o encheu de carinho no retorno ao seu estado, Petrúcio tratou de deixar bem claro sobre o verdadeiro sentido de suas conquistas.

— Voltar pra casa e ver minha família é muito gratificante. É o que eu falo: a conquista às vezes vai além da medalha. Voltar pra casa e ver o sorriso das pessoas que eu amo é algo muito emocionante. Eu que tô aí há quase dois meses longe de casa para aclimatação em São Paulo, Japão — afirmou.

Com tempo para descansar e se recuperar da lesão muscular nas próximas semanas, Petrúcio vai ter agora a folga merecida para ficar perto da família, desfrutar das lembranças inesquecíveis nos Jogos Paralímpicos e começar a sonhar novamente com as conquistas que ainda estão por vir.

Informações com Globo Esporte Paraíba

 

 

 

 

 

 

Clique para comentar

Deixe seu comentário

Mais Notícias em Esporte

TOPO
%d blogueiros gostam disto: