Os técnicos administrativos, que sofreram no governo Ricardo Coutinho, conseguiram uma expressiva vitória, nos últimos dias. O fato é que o Governo do Estado havia encaminhado um processo de demissão dos servidores que paralisaram suas atividades, ano passado, após várias tentativas de diálogo com o ex-governador, que nunca recebeu a categoria, para discutir o PCCR (Plano de Cargos, Carreira e Remuneração)

O presidente do Sindtec (Sindicato dos Técnicos Administrativos), Nataluan Carvalho, destacou: “Estávamos tranquilos em relação ao PAD (Processo Administrativo Disciplinar), pois o direito de greve é um direito constitucional que o servidor público tem quando está insatisfeito com o seu salário e através das paralisações, reivindicam melhores condições de trabalho”. Disse ele.

Os servidores, que lideraram a paralisação, passaram pelo constrangimento de suspensão de salários e ameaça de demissão. “Mas, conseguimos reverter isso”, comemora Nataluan. Ele complementa: “O próximo passo do Sindtec é negociar com a Secretaria Administração o reembolso dos valores descontados durante a greve, que foi mais do que legítima.”

Sem diálogo – Desde 2015, quando foi fundado, o Sindtec tentou por diversas vezes o diálogo com o Governo da Paraíba, para negociação das reivindicações da categoria. “Mais de 20 ofícios requerendo reunião e diálogos foram protocolados junto ao governo até o início de 2018.”

“Sem qualquer retorno, a categoria decidiu em assembleia (17/03/2018), dois dias de paralisação como indicativo de greve (22 e 28 de março de 2018) e, persistindo a falta de comunicação por parte do Governo, a greve teve início na data de 02 de abril de 2018”, narra Nataluan.

A greve se estendeu até o dia 21 de agosto de 2018, com o retorno da categoria ao trabalho no dia 22, após decisão dos Técnicos em encerrar o movimento paredista, em Assembleia Geral Extraordinária do dia 20/08/2018.

A decisão por encerrar a greve deu-se em solidariedade aos grevistas que tiveram seus salários descontados. Servidores que enfrentaram PAD por abandono de cargo. O resultado do PAD foi homologado em 13/07/2019, quase um ano após o encerramento da greve, mas sem demissão, e, sim, apenas advertência.

Helder Moura

Categorized in:

Política,

Last Update: 16 de julho de 2019