A morte de um adolescente de 15 anos, acontecida no mês de julho deste ano, após ser atendido no Hospital Regional de Pombal (HRP), terá novos desfechos após determinação do Promotor de Justiça para que o caso seja apurado nos âmbitos criminal – através de inquérito da polícia civil – e ético, pelo Conselho Regional de Enfermagem (COREN) da Paraíba.

O Blog do Naldo Silva obteve cópia da Portaria do Promotor Leidimar Bezerra, onde ele encaminha o procedimento para que seja apurado com mais elementos.

Leidimar destaca que a direção do HRP procedeu a instauração de sindicância interna para apurar o ocorrido, “na qual restou evidenciado a prática de erro grosseiro por parte do técnico em enfermagem, João Marcos Araújo, resultando em sua exoneração do cargo”.

“No âmbito administrativo, a Direção do HRP já adotou as providências que lhes são cabíveis, porém, remanesce a necessidade de se acompanhar a apuração criminal e ética de eventuais atos ilícitos que podem ter corroborado para a morte do paciente”, diz o Promotor.

O CASO:

Pedro Rogério Fernandes de Almeida, de 15 anos, morreu em Campina Grande cerca de duas semanas após ser internado no hospital de Pombal. A família acusou João Marcos de ter trocado os medicamentos prescritos para ele por de outro paciente.

OUTRO LADO:

Em entrevista o advogado Cezário de Almeida, que defende o técnico em enfermagem, acusou o hospital regional de realizar a sindicância sem ouvir o funcionário.

Ele informou que já solicitou a anulação do procedimento para que seu cliente possa dá sua versão sobre o fato.

Cezário também informou que impetrará Habeas Corpus buscando “trancar” a investigação policial até que seja concluído o processo no âmbito administrativo.

 

 

 

 

 

Categorized in:

Policial,

Last Update: 22 de novembro de 2018