O ambientalista Betto Montenegro fez críticas à administração municipal de Pombal por não ter se enquadrado ainda às exigências da Lei da Política Nacional de Resíduos Sólidos aprovada em 2010 e que determina que todos os lixões do país deveriam ter sido fechados até agosto de 2014.

Há muitos anos, o lixão de Pombal cresce às margens da rodovia BR-230, na entrada da cidade, e ameaça poluir os rios Piranhas e do Peixe.

Assim como Pombal, muitos municípios brasileiros continuam com lixões a céu aberto. Montenegro, que trabalha em João Pessoa, mas é natural de Pombal, diz que falta sensibilidade do prefeito Abmael Lacerda (Dr. Verissinho) para resolver o problema, principalmente porque ele é médico.

“O gestor é um médico, então se você tem um médico que não tem sensibilidade com a própria saúde do município…”, disse o ambientalista.

Lixão de Pombal

Betto também suscitou dos ‘formadores de opinião’ e da sociedade civil organizada de Pombal um movimento coletivo para cobrar da administração municipal uma resolução para o problema.

“Eu fico indignado ao ver um lixão a céu aberto sabendo que ali é próximo ao Rio Piranhas e o Rio do Peixe. Então, a gente tem que partir para chamar o feito à ordem”, completa.

DIÁRIO DO SERTÃO

Categorized in:

Política,

Last Update: 20 de novembro de 2018

Tagged in:

,