Nossas Redes Sociais

Clinton Medeiros

Clinton Medeiros

Renato Gadelha falou das indefinições do PSC na PB

Política

Renato Gadelha falou das indefinições do PSC na PB

O deputado Renato Gadelha (PSC) se manifestou em entrevista sobre a escolha de Lucélio Cartaxo (PV) como candidato das oposições ao governo do estado. Segundo Renato, foi uma decisão precipitada e os partidos aliados não foram consultados.

– Foi uma decisão açodada. Lucélio não é o candidato das oposições. É o candidato do PV apoiado pelo PSDB. Devia ter sido feita uma reunião mais ampla, com a presença do PSC, do PP e demais partidos – destacou.

Questionado sobre o futuro do recém filiado ao partido, Manoel Júnior, Renato revelou que não houve convite para que o vice-prefeito de João Pessoa fosse candidato a senado, e sim, o empresário Dalton Gadelha.

– As conversações estão avançadas. Devemos ter uma reunião do PSC para que a gente chegue a um consenso. Há possibilidade de fechar também um acordo com Lucélio Cartaxo, mas na realidade estamos mais próximos do senador José Maranhão. Há um convite formulado para que o empresário Dalton Gadelha seja o vice na chapa do senador Maranhão – disse.

“Estamos conversando tanto com Maranhão como com Lucélio. Mas agora o que tá mais em pauta é a proporcional e estamos conversando pra ver qual é a melhor coligação a seguir” sentenciou.

Chapa dos rebeldes

Ao comentar sobre as movimentações que o PSC pretendia na chapa majoritária da oposição, Renato mostrou insatisfação, assim como o Progressista, sobre a definição “às escuras” – como definiu Maranhão – dos nomes oposicionistas. “Fomos surpreendidos porque não fomos convocados para essa reunião de Brasília, e dela já veio com a chapa resolvida”, reclamou.

De acordo com o parlamentar, a chapa – que para ele é: Lucélio (PV) e Micheline (PSDB); Cássio Cunha Lima (PSDB) e Raimundo Lira (PSD) – pensou apenas em Campina Grande e João Pessoa. Para ele, as prefeituras estão representadas pelo irmão do prefeito da Capital e pela esposa do prefeito campinenses, o que do ponto de vista lógico é importante, mas do ponto de agregar partidos deixa a desejar.

“Mas acho que deixou muita gente da oposição de fora da chapa. O PP, de Enivaldo, Aguinaldo e Daniella, o PR, de Wellington Roberto, o PSC de Marcondes, o próprio MDB poderia ter participado dessa chapa, talvez se conseguissem um consenso, o PROS de André Amaral, o PDT de Damião. Ficou muita gente de fora dessa chapa, que poderá dar margem para surgimento de outra chapa ou que ingresse na chapa de Maranhão”, projeto Gadelha. Indagado diretamente sobre essas siglas deixadas de lado formarem uma chapa própria, e, portanto, a oposição ter duas chapas, Renato foi direto: “Existe essa possibilidade”.

As conversações entre Manoel Júnior (PSC) e o senador José Maranhão (MDB) estão se estreitando nos corredores da corrida eleitoral deste ano. O deputado estadual, Renato Gadelha (PSC), disse, que o vice-prefeito de João Pessoa tem o aval para concorrer em uma chapa majoritária.

“Ele pode ser candidato perfeitamente. Mas, ele disse que não disputará à chapa proporcional. Então começa à funilaria é estreitar a chapa de Lucélio, ao que tudo indica, está fechada e completa”, disse o deputado, acrescentando que na chapa de Lucélio não há mais espaço.

Para o deputado, Renato, à única solução de Manoel Júnior disputar um cargo na majoritária é indo para a coligação de Maranhão, comentou Gadelha. “Restaria à chapa do MDB, de onde ele saiu. É um projeto convencimento dele para que o governador Maranhão aceite sua participação na chapa majoritária”, disse.

Ainda sobre Lucélio, Renato disse, – O senador Cássio me ligou dizendo que seria uma reunião com Luciano e que não seria uma reunião das oposições, porque não poderia fazê-la sem esses outros partidos. Surpreendentemente, no outro dia foi anunciada esta chapa praticamente fechada, porque para retirar esses candidatos que foram colocados fica difícil – externou.

Por fim, Gadelha lembrou que, na eleição passada, Lucélio foi vencido por José Maranhão na corrida para o Senado e que “é preciso combinar com o povo, pois às vezes uma chapa do entendimento dos cardeais da política pode dar errado”.

Por fim ele resumiu, “Nem com MDB nem com PV”. Do deputado Renato Gadelha (PSC), negando que o seu partido tenha fechado questão quanto a uma aliança com esses dois partidos, conforme vêm afirmando pessoas ligadas ao MDB, por um lado, e o prefeito de João Pessoa, Luciano Cartaxo, por outro. Ele confirmou que o PSC se reúne na próxima semana para definir questões relacionadas a alianças.

Paraíba Online

 

Clique para comentar

Deixe seu comentário

Mais Notícias em Política

TOPO
%d blogueiros gostam disto: