Nossas Redes Sociais

Clinton Medeiros

Clinton Medeiros

Efraim quer DEM na vice de João

Política

Efraim quer DEM na vice de João

O deputado federal Efraim Filho (DEM) está sendo repetitivo em suas declarações, com sucessivas afirmações que o seu partido deseja um espaço na chapa majoritária do governista PSB, que os democratas defendem com unhas e dentes.

Ele concedeu entrevista e apresentou perfil mostrando que o seu partido ainda é o fiel da balança entre os aliados dos socialistas. “Nesse histórico de eleição dividida, nós temos nos apresentado como fiel da balança”, disse.

É bom lembrar que só aconteceu nas campanhas de 2002 e 2006, como bem destacou o parlamentar, porque em 2010 o PSDB foi o partido que se colocou na linha de frente e 2014, na reeleição do atual governador, foi a somada do apoio do prefeito Luciano Cartaxo e o PMDB, hoje MDB.

O grito de Efraim Filho por uma vaga na majoritária das eleições de outubro não está ecoando no PSB, partido que deverá encabeçar a chapa pelo lado da situação na eleição governamental de outubro deste ano.

Ele alertou a cúpula do PSB que é fundamental para o equilíbrio da chapa majoritária encabeçada pelo ex-secretário João Azevedo que o DEM seja contemplado com a vaga de vice-governador. E sugeriu que o ungido seja o seu pai, o ex-senador Efraim Morais, presidente do diretório regional do DEM e que até pouco tempo ocupou uma secretaria de Assuntos de Governo na gestão Ricardo Coutinho, hoje exercida por sua mulher, Ângela Mayer Ventura Morais. De acordo com “Efraito”, o equilíbrio na chapa governista seria geográfico e ao mesmo tempo representativo politicamente, lembrando que Azevedo representa a Capital, Veneziano Vital do Rêgo (ao Senado) representa Campina Grande e Efraim Morais seria o representante do Sertão.

O posicionamento de Efraim Filho foi avaliado em algumas áreas como uma manobra tática do Democratas para neutralizar a possível presença de um petista na chapa majoritária, mais precisamente na vaga de vice. O governador Ricardo Coutinho tem ligações estreitas com líderes e dirigentes do PT, devido ao prestígio que tem dado aos ex-presidentes Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff, inclusive, tendo-os levado para uma cerimônia informal de recepção das águas do rio São Francisco na Paraíba. Mais recentemente, Ricardo – que iniciou sua carreira política dentro do PT e depois migrou para o PSB – fez parte de uma comitiva de governadores que foi a Curitiba tentar visitar o ex-presidente Lula da Silva e hipotecar-lhe solidariedade diante da prisão. A comitiva foi barrada na Superintendência da PF,o que ocasionou protestos de governadores, inclusive, de Coutinho.

Efraim Filho ressaltou que o Democratas controla duas dezenas de prefeituras na Paraíba e possui representatividade em outras esferas políticas, além de ter raízes fortes na região do Alto Sertão (sua família é originária de Santa Luzia, no Vale do Sabugy). Efraim frisou que não há motivos para dúvidas sobre o posicionamento do DEM de apoio ostensivo à candidatura de João Azevedo, lançada pelo governador Ricardo Coutinho. Pessoalmente, o parlamentar considera que Azevedo é um técnico com muita sensibilidade política, além de profundo conhecedor dos graves problemas estruturais que a Paraíba enfrenta, estando preparado para debater qualquer tema relacionado com a conjuntura estadual.

Enfim, Efraim Filho salientou que o governador tem conhecimento da postura de lealdade que o Democratas mantém em relação à sua administração. Do ponto de vista, exemplificou que o DEM se dispôs a ir para o sacrifício, participando de disputas eleitorais em João Pessoa, com a vice de candidatas como Estela Bezerra. O governador, até o momento, não sinalizou nada sobre a questão da vice-governança, exceto a revelação de que o nome ungido sairá de uma discussão com as forças do agrupamento que ele lidera. “O DEM quer ser lembrado como alternativa na chapa”, finalizou “Efraito”.

A indicação, segundo o parlamentar, segue mantida, tanto é que o ex-senador se desincompatibilizou do cargo no tempo hábil justamente para estar apto ao posto.

Efraim lembra que, caso isso ocorra, a chapa estaria contemplando geopoliticamente as cidades de João Pessoa, como candidato de Ricardo Coutinho, Campina Grande, com Veneziano ao Senado, e Efraim Morais, representando o Sertão. “O nome do ex-senador Efraim Morais seria uma opção para ocupar a chapa na vice, como forma de fazer equilíbrio geopolítico na chapa de João Azevedo. Estamos presentes em 20 prefeituras, e Efraim tem o nome estadualizado. Ele tem experiência política e vai equilibrar a chapa com João Azevedo, que é um grande gestor, e isso traria uma chapa equilibrada e plural em que toda a Paraíba se sentiria representada”, disse.

Nonato Guedes

 

 

 

Clique para comentar

Deixe seu comentário

Mais Notícias em Política

TOPO
%d blogueiros gostam disto: