Justiça federal condenou Carlos Dunga por causa das “Sanguessugas”. Ele se defendeu.

CarlosDungaO ex-deputado federal e atual deputado estadual, natural de Pombal, Carlos Dunga (PTB), foi condenado pela Justiça da Paraíba por receber propina no esquema da Máfia das Ambulâncias. Na sentença publicada no Diário Eletrônico do Tribunal Regional da 5ª Região, o parlamentar foi punido com perda do cargo público e dos direitos políticos por oito anos; a pagamento de multa de R$ 8 milhões; e também ficou proibido de contratar com o poder público ou receber benefícios ou incentivos fiscais ou creditícios pelo prazo de dez anos.

Carlos Dunga foi condenado, segundo a denúncia do Ministério Público, por participar do esquema fraudulento, conhecido com ‘máfia dos sanguessugas’. O parlamentar apresentava emendas orçamentárias que destinavam vultosos recursos a municípios em troca do pagamento de propina. Ele foi deputado federal nas legislaturas de 1999-2003 e 2003-2007.

Também foram condenados por participar do esquema Vera Lúcia Pinto, Luiz Antônio Trevisan Vedoin e Darci José Vedoin.

DEFESA

O deputado estadual Carlos Dunga (PTB) desistiu de sua aposentadoria da vida pública, anunciada no ano passado, quando havia optado por não disputar a reeleição para o legislativo estadual.

A novidade foi informada na tribuna da Assembleia Legislativa da Paraíba quando o parlamentar se defendeu da  condenação sofrida na semana passada em ação que apontava seu envolvimento no esquema de corrupção batizado como “Máfia das Sanguessugas” ou das Ambulâncias.

Na sentença publicada no Diário Eletrônico do Tribunal Regional da 5ª Região, o parlamentar foi punido com perda do cargo público e dos direitos políticos por oito anos, tendo ficado proibido de contratar com o poder público ou receber benefícios ou incentivos fiscais ou creditícios pelo prazo de dez anos.