Cientista político falou sobre enquetes políticas em internet

Fábio-MachadoO cientista político Fábio Machado, que por sinal é professor de Ciência Política da Universidade Federal de Campina Grande conversou por telefone com nossa reportagem sobre enquetes políticas em sites de internet, seus resultados e parâmetros.

Olha essas enquetes realizadas por sites tem de se observar inicialmente a seguinte causa, o público atingido é específico, de certo a juventude tem uma maciça participação, ou seja na opinião dada e no resultado aferido saiba-se que na maioria dos casos a escolha deva ter sido com gente da faixa etária entre 15 e 30 anos, pesquisas científicas afirmam isso”; destacou inicialmente.

Fábio foi além, e afirmou também as pessoas que em maioria opinam nas enquetes de internet; “Com certeza as votações de enquetes políticas de internet são de pessoas com opinião formada, gente que lê, e poucos indecisos, o internauta brasileiro é sempre alguém muito atualizado, e sendo bem conceitual, nessas enquetes analfabetos não opinam, nem aqueles funcionais, que justamente tem direito a voto pela legislação brasileira”; delimitou.

PARÂMETRO

O cientista político e professor disse ainda que serve como uma boa base para os citados nas enquetes; “Mesmo sendo essa parcela específica que participa de enquetes, mas tem de se lembrar também o seguinte, no Brasil hoje a cada dia cresce o numero de pessoas que estão focadas na internet e nas redes sociais, essas pessoas ou já tem ou estão criando opiniões, e portanto é gente mais difícil de se corromper, de vender voto, e para o “candidato” mais escolhido nessas enquetes, de certa forma sai na frente num público mais sólido, podendo trabalhar com aquela parcela mais maleável de mudança de voto em que todos os candidatos são iguais, infelizmente compra de voto é uma realidade no Brasil, portanto vencer enquetes é importante na internet, pois mostra uma base e parâmetro para quem busca vitória nas urnas”; finalizou.