Cidades de Mato Grosso e Riacho dos Cavalos receberam destaque em documento na Frente das águas da ALPB

frente_sindicatoA Assembleia Legislativa da Paraíba realizou a apresentação do relatório preliminar da Frente Parlamentar da Água. Instalada no dia 3 de março, a Frente percorreu diversos municípios paraibanos em visitas a obras hídricas e mananciais além da realização de audiências públicas em Câmaras Municipais. O texto recebeu sugestões dos deputados e será finalizado para ser entregue ao Governo da Paraíba e ao Ministério da Integração Nacional.

O presidente da Casa avaliou que na atual legislatura a Assembleia cresceu com o trabalho e o conteúdo da Frente da Água, bem como também está maior com o trabalho da CPI da Telefonia. “Esse é o trabalho nosso, fico feliz e estou fazendo uma compilação do que nós produzimos nesses primeiro meses dessa legislatura, o que é muito importante para a Paraíba e agradeço a todos por estarmos terminando essa fase da Frente Parlamentar”, destacou Adriano Galdino.

Na próxima terça-feira (25) os deputados integrantes da Frente, junto com outros parlamentares, estarão em Brasília para entregar o relatório final ao ministro da Integração Nacional, Gilberto Occhi, solicitando providências, sobretudo, com relação às 10 propostas emergenciais.

Dentre as 10 propostas emergenciais da Frente Parlamentar da Água consta a mobilização política em defesa da urgente liberação de recursos para conclusão de obras de implantação e reforço dos sistemas adutores do Congo; Itaporanga, Nova Olinda e Pedra Branca; Conceição; Pilões e Serraria; Diamante e Boa Ventura; Imaculada; Serra Redonda; Riacho dos Cavalos e Mato Grosso; Emas; Santana de Mangueira; Mãe D’água; Carrapateira; Alagoa Grande; Distrito de Gravatá no Município de São João do Rio do Peixe; Nova Floresta; Arara e Casserengue, Areial e Montadas, com previsão de R$ 59,312 milhões de investimentos.

Outra proposta é a mobilização política e popular em defesa da conclusão das obras de transposição do Rio São Francisco, bem como solicitar ao Ministério da Integração Nacional a elaboração de estudos imediatos para despoluir os rios que receberão as águas da transposição da bacia do Rio São Francisco.

Também consta no documento a mobilização política pela liberação de recursos para o Programa de Perfuração e Instalação de poços artesianos proposta pelo Estado da Paraíba (R$ 10 milhões); requerer urgentemente a construção da adutora do Pajeú que beneficiará os seguintes municípios da Paraíba: Princesa Isabel, Imaculada, Desterro, Livramento, São José dos Cordeiros, Taperoá, Teixeira e Cacimbas, os quais estão em colapso total e necessitam de forma urgente das águas do rio acima citado.