Câmara catoleense adiou em dois dias análise do Plano Municipal de Educação

CamaraA sessão da Câmara Municipal de Catolé do Rocha, desta segunda-feira 15 de Junho teve aprovação de alguns requerimentos apresentados pelos parlamentares, entre os quais pedindo melhoria de infra estrutura em ruas, estradas rurais e sítios. Porém o principal destaque ficou por conta da expectativa da votação do plano Municipal de Educação, o que não aconteceu.

No plenário da Câmara estiveram presentes muitos profissionais de educação do município, tanto da esfera estadual como municipal, o diretor eleito da Escola Obdúlia Dantas, professor Gildevan ocupou a tribuna para pedir a aprovação da lei aos parlamentares.

Alguns vereadores, como Gentil Barreto (PSDB) e Cláudio de Sinfrônio (PSDB) se posicionaram favoráveis para que a votação ocorresse nesta segunda. Porém o motivo que o Plano acabou não sendo votado foi justamente um pedido de vistas de Alfredo Maia (PMDB) nos trabalhos da semana passada.

 O presidente da Câmara, Themistoclys Barreto (PPS) definiu em acordo com o plenário, que na próxima quarta-feira, 17 e Junho vai acontecer uma sessão extraordinária para analisar o Plano Municipal Educacional. Os trabalhos de dessa quarta serão pela manhã.

 Alfredo falou sobre seu pedido de análise; “Nunca que eu imaginei que ficaria tão importante com um pedido de vistas, fui muito citado, muito olhado e até acho estranho isso, eu quando dirigia à Câmara recebi muito pedido de vistas dos colegas e acho isso mais do que normal, quarta vou dar meu voto, é um projeto grande, complexo e requer uma análise maior como eu estou fazendo”; pontuou.

 Faltaram aos trabalhos os vereadores Doda Azevedo (DEM) e Popó Maia (PTB).

 Esta foi a última sessão ordinária do primeiro semestre, após quarta os parlamentares entram em recesso de meio do ano, voltando em Julho.