Nossas Redes Sociais

Clinton Medeiros

Clinton Medeiros

Sindicato de Jornalistas faz campanha para vacinação de profissionais de imprensa na Paraíba

Política

Sindicato de Jornalistas faz campanha para vacinação de profissionais de imprensa na Paraíba

Nesta última terça-feira (1º), Dia Internacional da Imprensa, a Diretoria do Sindicado dos Jornalistas Profissionais da Paraíba (SindjorPB) lança a Campanha Estadual de inclusão dos profissionais de imprensa entre os grupos prioritários do Plano Nacional de Imunização (PNI) de combate ao novo coronavírus. A iniciativa está em conformidade com a campanha nacional de vacinação contra a Covid-19 para jornalistas já lançada pela Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj) e outros sindicatos de todo o País. A Paraíba lidera o triste ranking de óbitos de jornalistas mortos pela Covid-19, no Nordeste.

A Campanha Estadual pela vacina para jornalistas será lançada no site oficial do SindjorPB (sindjorpb.com.br), nas páginas do Sindicato no Facebook (SindJornalistas PB) e no Instragram (Sindjorpb). A Campanha também estará na rua. A partir da 11h desta terça-feira 1º), a categoria estará em frente ao antigo Jornal Correio da Paraíba, Centro de João Pessoa, exigindo vacina no braço para os jornalistas.

Conforme dossiê da Fenaj, até o dia 23 de maio, foram 15 jornalistas mortos pela doença, na Paraíba. João Pessoa e Campina Grande detém 100% dos casos, sendo 55% na Capital e 45% em Campina. Com essa estatística, o Estado aparece na 5ª colocação entre os profissionais vitimados pela pandemia, no Brasil, atrás dos estados de São Paulo, Amazonas, Pará, Rio de Janeiro e Paraná. O acompanhamento dos números no Estado está sendo coletado e atualizado pelo Sindjor-PB e repassado à Fenaj.

Segundo o presidente do Sindicato dos Jornalistas da Paraíba, Land Seixas, até o final deste semestre, o Estado pode subir mais posições neste sinistro ranking de perdas de vidas. “Neste momento, a Paraíba está liderando as estatísticas, com mais profissionais vitimados pela Covid-19 no Nordeste. Das 55 mortes dos trabalhadores dessa área que perderam a vida na Região, o Estado detém alarmantes 27% dos casos. Isso representa percentuais 15% acima do Ceará e 16% a mais que Alagoas e Sergipe, estados que superaram Bahia e Pernambuco, detalhou o presidente.

Por conta desta situação, o Sindicato concretizou algumas estratégias para sensibilizar os órgãos públicos estaduais sobre a necessidade de colocar a categoria como grupo prioritário na vacinação. Recentemente, enviou um ofício à Secretaria de Comunicação do Estado, solicitando uma audiência com o governador da Paraíba, João Azevedo (Cidadania), para tratar sobre o assunto que preocupa não só os jornalistas, mas os familiares desses profissionais.

O Sindjor-PB também busca uma audiência com o prefeito de João Pessoa, Cícero Lucena (PP), com a mesma finalidade. O Sindicato ainda apoia iniciativas, como as propostas apresentadas pela deputada Estela Bezerra (PSB), na Assembleia, e do vereador, Emano Santos (PV), na Câmara municipal pessoense, que visam possibilitar a vacinação dos profissionais de imprensa.

Alguns estados já entenderam que os jornalistas também estão na linha de frente e precisam ser enxergados como grupo prioritário. O governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), anunciou na sexta-feira (28), em coletiva de imprensa, que será iniciada a vacinação dos trabalhadores das empresas de comunicação. Já na Bahia, em reunião da Comissão Intergestores Bipartite (CIB) realizada no dia 18 de maio, foi aprovada a inclusão de jornalistas com idade superior a 40 anos na vacinação contra Covid-19. O grupo prioritário abrange ainda fotojornalistas, repórteres cinematográficos e blogueiros registrados. A decisão da CIB será publicada no Diário Oficial do Estado na próxima quinta-feira (20).

Jornalistas mortos do Brasil – De acordo com a atualização realizada pela Press EmblemCampaing (PEC), organização não-governamental com sede em Genebra na Suíça, o número de jornalistas vítimas da Covid-19 no Brasil é de 196. Essa situação coloca o País em 2º lugar no ranking de óbitos pela doença no mundo, atrás apenas da Índia, onde o descontrole em relação a pandemia já vitimou mais de 221 profissionais da área. Na América, o Brasil mantém a trágica liderança geral do continente, apesar do aumento de óbitos entre jornalistas que, recentemente vem sendo registrado na Argentina, e supera os índices de países como Perú (161), México (109), Colômbia (61) e Estados Unidos (49).

Fonte: Diretoria Executiva do Sindjor-PB

Clique para comentar

Deixe uma resposta

Mais Notícias em Política

TOPO
%d blogueiros gostam disto: