Nossas Redes Sociais

Clinton Medeiros

Clinton Medeiros

Ex-vice de Sousa quer Nabor candidato a vice-governador

Política

Ex-vice de Sousa quer Nabor candidato a vice-governador

O ex-vice-prefeito de Sousa, Lúcio Mattos voltou a cena política ao defender o nome do deputado estadual, Nabor Wanderley (MDB), como opção para candidato a vice-governador em qualquer chapa majoritária em outubro próximo.

– Qual o Grupo político da Paraíba que tem o contingente eleitoral maior do que o Grupo Motta? Eu desconheço no Sertão. O Grupo Motta tem um deputado federal, um estadual, tinha um prefeito até recentemente em Patos. Hoje Hugo Motta tem mais de 20 prefeitos que votam com Hugo fechadamente. Hugo nunca perdeu uma eleição, comentou Lúcio.

Para o sousense, o Grupo Motta hoje representa o sertão com seu contingente eleitoral, estrutura de mais de 750 mil votos. “Nabor foi prefeito, reeleito com mais de 10 mil votos de maioria. Francisca Motta nem se fala, Edivaldo Motta, o grande patriarca de todo esse Grupo. É uma história política. Esse Grupo só tem crescido. Hugo, graças a Deus, está com sua reeleição consolidada com mais de 125 mil votos”, contou.

Lúcio lembrou do Grupo Gadelha em Sousa que comandou a política no município e no estado por décadas. “Hoje o Grupo Motta é superior ao Grupo Gadelha. Então no Sertão da Paraíba o candidato, que seja: Zé Maranhão, João Azevedo, Pedro Cunha Lima, quem quer que seja, que quer ter um candidato a vice de luxo, e tenha realmente tenha algo a oferecer, que é o voto do eleitor, isso o Grupo Motta tem”; disse.

Por outro lado, Lúcio Mattos revelou que voltará a fazer política em Sousa nos próximos dias, a exemplo de sua militância a tempo áureos.

Disse que estava se aposentando como coordenador do Ministério do Trabalho na Paraíba, e aproveitará para voltar contribuir na política sousense.

Lúcio revelou que sua ausência nas atividades locais foi por uma opção pessoal: formar os seus três filhos em medicina. Com essa missão cumprida, deverá voltar a distribuir sopão, e fazer os tradicionais arrarais do povão, e quem sabe pleitear uma candidatura a prefeito de Sousa.

“Eu deixei a política por quer eu tinha uma decisão a tomar de vida. Ou, eu continuaria da política, ou formaria os meus três filhos que tenho em medicina, por quer medicina é muito caro. Eu tive que pensar muito, e tomar uma decisão de vida. A única herança que eu poderia deixar para os meus filhos era o diploma de médico. Graça a Deus, os três se formaram”; agradeceu.

Com essa missão de vida cumprida, Lúcio Mattos lembrou que agora estaria livre, após sua aposentaria que deverá aconteceu até o final do ano para retomar aquilo que gosta de fazer na vida: Política partidária.

“Vou requerer breve minha aposentadoria aqui no Ministério da Agricultura, vou para Sousa. Não sei fazer outra coisa a não ser política. Vou começar a gatinhar. Vou começar a fazer um sopão pequeno, e vou começar do zero, e até quem sabe, chegar ao arraial do povão”; sustentou Lúcio Mattos.

 

Clique para comentar

Deixe seu comentário

Mais Notícias em Política

TOPO
%d blogueiros gostam disto: